Sobre o documentário “O começo da vida”

Já indicamos o documentário “O começo da Vida” nas redes sociais, quando o mesmo estava em cartaz nos cinemas.

Agora ele pode ser assistido no Netflix e digo: ASSISTAM JÁ!!!

Uma reflexão do começo ao fim, pra nós pais, avós, padrinhos, tios, seres humanos que visam um futuro melhor para nossos pequenos.

Em tempos de estupro coletivo, criança de dez anos assassinada porque furtou um carro, vale a reflexão da importância da primeira infância na construção e formação de futuro bons cidadãos.

As pessoas que fazem parte da vida da criança, do dia-a-dia dela, são a relação  dela com o mundo que ela vai conviver, sobreviver. Elas precisam de pessoas que cuidem dela pelo desejo de cuidar e não por uma imposição. A partir deste pensamento entra o desejo de realmente formar uma família, ter filhos. Não baste tê-los porque faz parte do ciclo procriar… A responsabilidade é enorme minha gente! Nossas crianças precisam de tempo investido para elas. De mãe e pai que levem pra escolar, que conversem sobre o passeio, convidem amigos para um almoço, abracem, beijem, digam não, mostrem caminhos, dêem AMOR… Claro que não são todas as mães ou pais que podem se dedicar integral aos filhos, mas devemos pensar nesse tempo dedicado. O exemplo usado: “Fala pro seu chefe, que você vai trabalhar dez minutos por dia. Vê se ele topa. Mas com qualidade, entendeu?”. Essa frase me representa! Sempre pensei assim! Criança quer quantidade. Ela quer a mãe ou o pai com ela. Ensinando, direcionando, amando. Que adianta dizer que trabalha muito a semana toda, chega o final de semana e fica pendurado(a) no celular?

Outra parte que amei é quando fala sobre a participação do pai na educação e desenvolvimento emocional dos filhos. O pai, como no filme é dito, não deve ser um ajudante da mãe e sim um parceiro!!! É muuuuito diferente. A responsabilidade é dos dois! Não bastar quebrar um galho, dar uma “ajudinha”. Como é construído o vínculo entre pai e filho(a)? No cotidiano. E a mãe deve facilitar a entrada do pai neste cotidiano. Estimular que ele participe. A forma diferente dele educar, mostrar o mundo é ótima também. Enriquecedora. Essa parceria deve ser feita entre as famílias, para o bem estar das crianças, para uma infância feliz e saudável!

E por fim, BRINQUE. Brinque muito e deixe seu filho brincar. Não é o brinquedo mais caro que dará as maiores possibilidades pra ele. As descobertas estão nas pequenas coisas, nos testes que a criança faz em contato com a natureza, com outras crianças, com objetos que a façam criar possibilidades. Transformar objetos em brinquedos. “No que ela cria, ela aprende, ela transforma, ela inventa. Algo novo acontece.”. E é maravilhoso!

Deixo aqui meu beijo com esta pequena reflexão do “Começo da Vida” pra vocês.

licoes-filme-o-comeco-da-vida

amb-pt

Comentários

About Author