Por que casais se separam após a chegada dos filhos

Outro dia, navegando pela Internet, uma matéria me chamou atenção e resolvi falar sobre o assunto por aqui com vocês!

Já repararam que MUITOS casais se separam logo após o nascimento dos filhos? Mesmo aqueles que estão juntos há anos!!! Isso já me intrigou até mesmo antes de ter os meus, pois me perguntava por que isso acontece com tanta frequência…

Claro que com a chegada do bebê a vida no começo muda demais e é realmente chocante… Acredito que se não tem compreensão, ajuda e muuuuuita paciência não vai pra frente o relacionamento de jeito nenhum.

Graças a Deus meu maridão segurou o tranco, principalmente com o primogênito, pois como já falei fiquei meio deprimida no início (veja aqui) .

Não existe casamento perfeito, esposa e marido perfeitos, e isso é a base para força e vida longa juntos.

Inspira, respira e não pira! E calma que tudo se ajeita com conversa e respeito! Importante sempre regar a sementinha que ela continuará crescendo!

Boa sorte aos casais que se amam e que só estão passando por um momento delicado!

Abaixo uma explicação detalhada para vocês!

Beijocas

Por-que-casais-se-separam-após-a-chegada-dos-filhos

“Todos os casais mudam quando chega o bebê”, afirma a psicóloga e terapeuta de casal Lana Harari. “Por mais que o casal se conheça, tem um fenômeno que acontece quando tem um filho que é a mudança de papéis: o filho muda o funcionamento do casal”, continua Lana.

Antes de chegar o filho, os cônjuges têm atenção exclusiva um do outro. E, com a chegada do pequeno, eles se tornam pai e mãe, além de parceiros, e um tende a se sentir excluído – geralmente o pai, de acordo com a psicóloga.

Este fenômeno de mudança é tão comum que existe até mesmo um termo em inglês para o impacto e conflito que um bebê pode causar em um casal: o baby clash, em tradução livre, choque do bebê.

O que acontece com a chegada do bebê que pode interferir de maneira negativa no relacionamento do casal?

– Afastamento

“A proximidade da mulher com o bebê e o afastamento do marido são naturais”, explica Lana. Com esse afastamento o homem pode se sentir excluído da relação e até enciumado, gerando problemas no casamento.

– Falta de sono

Uma das principais reclamações dos novos pais é a falta de sono. Passar meses acordando diversas vezes durante às noites é uma coisa terrível, conta a psicóloga que também é mãe: “A pessoa que não dorme fica extremamente alterada, afeta o humor e afeta sua relação”.

– Falta de tempo

O bebê chega dependendo 100% de sua mãe, o que acaba tirando não só o sono, mas também todo o tempo da mulher. Seja esse tempo para ela fazer o que quer ou deseja, seja tempo para se dedicar ao marido. “Agora ainda tem um perigo novo, o perigo das telas. Qualquer cinco minutos livres, ela corre para essa fonte de distração”, pontua Lana.

– Diminuição da frequência sexual

Outro problema conhecido é a diminuição da frequência sexual – que geralmente é consequência dos outros problemas citados acima, como a falta de tempo e sono.

– Interferência da família

Os pitacos tão comuns que a família dá na criação do bebê podem ser prejudiciais para o dia a dia do casal. Seja para o homem ou para a mulher, sofrer interferência muito grande de sogras ou cunhados – principalmente se esses ficam presentes por muito tempo na casa do casal – pode ser irritante e desgastante para a relação.

– Mergulho no universo infantil

Se a mulher passa o dia inteiro em casa, cuidando da criança sozinha – seja por licença maternidade ou porque parou de trabalhar fora para se dedicar integralmente a ela, a mãe fica mergulhada no universo infantil. “O pai tem a oportunidade de arejar a cabeça, recuperar a rotina e identidade dele, enquanto a mãe fica mergulhada no universo infantil: de desenhos, musiquinhas, fraldas, mamadas, peito doendo”, explica a terapeuta de família.

– Mudança de rotina

“A mudança de rotina é perigosa. Tudo o que tinha antes vai se perder”, diz a psicóloga, que lembra que, durante um tempo, é quase impossível até sair de casa com o bebê, quanto mais um jantar a dois que podia ser hábito do casal antes da chegada do filho. Ela ainda afirma que, quanto mais tarde acontece a chegada do bebê, mais difícil é para o casal se acostumar com as mudanças que ele traz: “Eles estão mais ocupados com a rotina pessoal e profissional, é mais difícil abrir espaço para o bebê”.

– Intensificação dos desequilíbrios anteriores

Às vezes, o bebê não é responsável pelo desgaste da relação dos pais, que se intensifica, mas pode exacerbar problemas que já existiam e não foram resolvidos antes da chegada do pequeno

– O que fazer com tantos problemas?

“A dica é: corra para a terapia”, recomenda Lana. Ela acredita que essa é uma oportunidade de o casal desenvolver a capacidade de resolver conflitos. “No segundo filho, parece que é mais fácil, mas vêm outros estresses. E tem outros eventos carregados de estresse: entrada do filho na escola, saída dos filhos de casa. São fases de transição difíceis”.

Fonte: Delas

Comentários

About Author