O método da caneta verde no processo de aprendizagem da criança

Outro dia li um título que me chamou atenção “O método da caneta verde.” Entrei para olhar o que significava.

Achei muuuuuuuuuuuito interessante o que li e vou dividir com vocês!

Espero que gostem.

Beijocas

39005-650-1447920001IMG_6274_thumb

O método da caneta verde

“Vou começar do começo. Minha filha quase nunca foi à escola de estímulo precoce — pré alfabetização. Eu mesma cuidava disso. Quando estávamos treinando a sua letra antes de começar na escola regular, este era o nosso caderno:

Consegue ver a diferença? Eu não marcava com caneta vermelha os erros, mas destacava com verde as letras e bolinhas que tinham ficado bonitas. Ela gostava muito disso. Depois de acabar uma linha ela sempre me perguntava: mãe, qual é a mais bonita? E ficava ainda mais feliz quando eu circundava a letra mais bonita com as palavras ’muito bem’”.

Qual é a diferença entre as duas técnicas? Conseguiu entender?

  1. No primeiro caso focamos nos erros. O que ficou registrado na mente? Exatamente, as letras que ficaram feias, ou seja, o que é incorreto. Alguma vez você viu letras ou respostascorretas marcadas com caneta vermelha? Não! Ainda assim, e sem querer, nosso subconsciente lembra o que foi ressaltado.
  2. No segundo caso nos concentramos no que está bem feito. Experimentamos emoções completamente diferentes e, mais importante, uma atitude diferente. Quer queira quer não, nosso subconsciente tende a repetir o que foi bem feito (e foi destacado). Trata-se de uma motivação interna completamente diferente: não tentamos mais evitar os erros, mas nos esforçamos para fazer as coisas bem feitas. Parece a mesma coisa, mas existe uma mudança na estrutura do pensamento.

A próxima pergunta é: como os erros destacados influenciam a futura vida adulta?
A resposta é clara: desde pequenos nos acostumamos a nos concentrar nos defeitos, no que não está correto, no que parece errado. Nos ensinam a pensar assim desde a época de escola — justamente com a caneta vermelha. Também nos ensinam a pensar assim dentro de casa, onde, com maior frequência, nos mostram mais o que estava errado, ao invés de nos parabenizarem pelos nossos acertos.

Veja novamente a última linha da imagem acima. Das 18 bolinhas, a tendência é marcamos apenas uma. Ou seja, 19 estavam corretas e apenas uma não estava.

Por que nos concentramos nela?

Esse hábito — o de destacar com uma caneta vermelha o que não está correto — ao qual nos acostumamos desde a infância continua até a vida adulta, e é quase impossível nos livrarmos dele. Essa é uma das razões da nossa sensação de insatisfação na vida.

Esse processo tende a aumentar em tudo que fazemos. Desde a infância moldamos a vida de nossos filhos com o mesmo molde que usaram conosco, e isso nem sempre é positivo.

Se você colocar em prática o método da ’caneta verde’, vai ver que inclusive se não mostrar ao seu filho os seus erros, eles irão desaparecer pouco a pouco. Ele vai tentar fazer as coisas bem feitas por vontade própria.

Autor: Tatiana Ivanko

Fonte: Incrível Club

Comentários

About Author