Meia elástica na gravidez

Meia elástica na gravidez previne varizes.

Eu confesso que não usei meia elástica na gravidez dos meninos, mas também não engordei muito e fazia yoga e caminhada, o que ajuda na prevenção das mesmas.

Outro dia, conversando com uma amiga, ela me contou que foi viajar para fazer enxoval e colocou meia elástica por conta do avião. Aquilo incomodou ela muito e chegando no destino resolveu tirá-la. Ela simplesmente caiu dura no chão! Não sabia que tinha a forma correta de tirar a meia e a viagem foi um caos! Fazendo compras sem saber se estava tudo bem com o bebê!

Resolvi fazer este post como um alerta da importância de usar a meia, mas também da forma correta. Fale SEMPRE com seu médico!

Abaixo mais informações sobre o assunto.

Beijocas

Aprendemos na escola que as artérias são responsáveis por levar o sangue do coração aos órgãos, e as veias, por trazê-lo de volta.

O problema é quando o transporte é atrapalhado por obstáculos no caminho. “Variz se define como uma dilatação anômala das veias em qualquer parte do corpo”, define Ernesto Lentz de Carvalho Monteiro, professor de técnica cirúrgica da Faculdade de Medicina da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) e especialista em angiologia e cirurgia vascular.

Segundo Marcelo Halfen Grill, cirurgião vascular da Clínica Miyake, de São Paulo, consequências típicas da gravidez, como aumento de peso e alterações hormonais, podem ser responsáveis pelo surgimento das varizes, principalmente se a mulher já tiver episódios familiares da doença.

Elas podem surgir em qualquer parte do corpo, mas são mais comuns na pernas, por conta da dificuldade de enfrentar a força da gravidade para trazer o sangue de volta aos órgãos.

Além disso, o aumento do volume de sangue circulando pelo corpo pode sobrecarregar as veias. Para completar, o útero fica sobre as veias que drenam o sangue das pernas e são comprimidas todas as estruturas adjacentes, como bexiga, intestino e vasos. “Isso aumenta a pressão nas veias dos membros inferiores”, explica o cirurgião vascular.

Diagnóstico

Apesar de, em geral, ficarem visíveis como veias mais escuras na superfície da pele, às vezes os vasos dilatados estão em camadas mais profundas. Se a pele é mais escura, a visualização também é mais difícil. Nesses casos, o diagnóstico é feito com a ajuda de um ultrassom ou um aparelho próprio para isso, chamado fleboscópio.

 Na gestação

Não existe um remédio ou uma dieta que ajude na prevenção das varizes. Além das características típicas da gestação, o surgimento delas está intimamente ligado ao histórico familiar.

Já que não é possível prevenir, o melhor é procurar diminuir o desconforto, que é ainda maior no terceiro trimestre, por conta da evolução do peso do útero e maior circulação sanguínea.

A principal preocupação deve ser com o sobrepeso. Quanto mais a mulher engordar, mais vai sofrer com sobrecarga e inchaço nas pernas. Por isso, o ideal é evitar ganhar muito peso e manter uma rotina com alimentação saudável e atividade física.

Como resolver

O tratamento das varizes consiste em cirurgias para eliminar as veias doentes ou aplicação de espuma nos vasos afetados. Ele é contraindicado em gestantes e lactantes, mas pode ser feito após o período de amamentação.

O ideal é esperar alguns meses após o parto para que os vasos voltem a um calibre menor. As varizes adquiridas durante a gestação não regridem totalmente, especialmente da segunda gravidez em diante.

As meias elásticas diminuem a sensação de peso nas pernas e ajudam na circulação. “Usá-las durante o dia é importante, principalmente no terceiro trimestre.

Elas fazem uma proteção mecânica das veias por meio de compressão, além de proporcionarem diminuição do edema, peso e cansaço nos membros inferiores”, resume Fernando Tavares Saliture Neto, cirurgião vascular e endovascular do Hospital Albert Einstein, em São Paulo.

Mas, atenção: nada de comprar meias elásticas por conta própria. O melhor é que elas sejam prescritas por um médico. “Há vários modelos, tamanhos e compressões. Sua prescrição é uma arte à parte. Meias mal escolhidas são sempre prejudiciais”, esclarece Monteiro.

Manter-se ativa também é muito importante. O mais indicado são exercícios leves, como caminhada, natação ou hidroginástica – de 40 minutos a uma hora por dia já é o suficiente. Além disso, é bom evitar ficar em pé ou sentada com as pernas penduradas por muito tempo.

A recomendação é mantê-las esticadas e levantar-se para dar uma volta de hora em hora, principalmente se estiver em uma viagem aérea.

Casos mais graves

As varizes não provocam nenhuma sequela no desenvolvimento do bebê. Mas podem trazer para a mãe problemas como a trombose venosa profunda. “A gestação é uma situação que, por si só, aumenta o risco desse tipo de complicação e varizes descompensadas aumentam ainda mais o perigo”, informa Grill.

No entanto, trombose venosa profunda provocada por varizes é algo raro. “Se a mãe que tiver varizes usar meias elásticas na gravidez, pode se considerar bem protegida deste problema”, afirma Saliture Neto. Por isso é importante fazer o acompanhamento com o cirurgião vascular.

Caso a trombose se manifeste, o tratamento será decidido por esse especialista e pelo obstetra, já que esse tipo de quadro passa a configurar a gestação como sendo de risco.

O tratamento varia de acordo com a idade gestacional.

FONTE: Bebe Abril

Comentários

About Author