Temos o maior emprego de nossas vidas: somos mães!

30/11/2015

2 comentários

Investigando a Infertilidade – Dra. Carla Iaconelli

Colaboradores

Hoje a Dra. Carla Iaconelli vai falar de um assunto que infelizmente faz parte da vida de várias pessoas que estão tentando engravidar… Ela já nos contou um pouco sobre a infertilidade (veja aqui) e hoje nos mostra o quanto a investigação para um diagnóstico correto é importante. Existem vários exames complementares que vão guiar o médico na decisão e escolha do tratamento adequado! Vale super a pena conferir!

E aguardem os próximos posts … Ela vai contar para a gente, tudo sobre os tratamentos disponíveis!

Beijos!!!!

investigando infertilidade

Investigando a infertilidade 

A infertilidade está presente em aproximadamente 14% dos casais do mundo todo, supõe-se que um em cada sete casais em idade reprodutiva apresentará dificuldade para engravidar.

Pode-se considerar que um casal é infértil após 1 ano de tentativas sem sucesso. Para mulheres com mais de 36 anos o período passa a ser de 6 meses.

As causas são muitas, há tanto fatores masculinos quanto femininos, e devem ser devidamente elucidados para definição do tratamento e prognóstico.

Quando um casal chega à consulta com histórico de infertilidade, além de uma cuidadosa entrevista e exame físico, o médico solicita ao casal alguns exames que são necessários para encontrar a causa da mesma, são alguns deles:

Espermograma: a análise seminal completa avalia a concentração de espermatozóides por mililitro em uma amostra, assim como a motilidade, ou seja, como se movimentam os espermatozóides, e o seu formato. É  indicado consultar um urologista se o este exame vier alterado.

Ultrassom transvaginal: avalia o útero e os ovários, é um exame de imagem que pode dar informações sobre o trato genital e reprodutor feminino. A presença de miomas, pólipos, cistos ovarianos, malformações e indícios de endometriose e síndrome de ovários policísticos podem ser apontados neste exame.

Histerossalpingografia: é um raio-x com contraste injetado através do colo do útero para detectar a permeabilidade das trompas. Avalia a permeabilidade tubárea, o trajeto das trompas e pode apontar sinais de aderências peritoneais, endometriose, mal formações uterinas e alterações da cavidade endometrial.

Podem ser solicitados ainda exames de sangue para avaliação de distúrbios hormonais, pesquisa e aconselhamento genético, ou outros exames de imagem e até videolaparoscopia e histeroscopia dependendo de cada casal.

O tratamento é invidualizado de acordo com os achados nos exames, um tratamento que é indicado para um casal pode não ser o ideal para o outro com infertilidade, por isso identificar a causa é tão importante.

Pode acontecer de todos os exames realizados estarem dentro da normalidade, o que não é infrequente.

Curiosidade: em 30% dos casos a infertilidade é de fator feminino, em 30% é fator masculino, em 30% pode haver fator feminino e masculino. E nos outros 10% não são encontradas alterações nos exames sendo denominado ESCA ou esterilidade sem causa aparente.

É importante para o sucesso do tratamento que seja feito o diagnóstico correto e o tratamento indicado para cada caso. Encontrar um médico de confiança, com experiência na área e que tenha uma equipe de qualidade por trás para garantir a segurança do casal e evitar complicações como gestações múltiplas e Síndrome do hiperestímulo ovariano.

No próximo post veremos os tipos de tratamentos disponíveis.

Até lá!!!!

carla-300x300

Dra. Carla Iaconelli – Ginecologista e Obstetra pela FEBRASGO, especialista em Reprodução Humana Assistida pela SBRA, mestra em Medicina na Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo.

Consultório Jardim Paulista 30513121
contato@carlaiaconelli.com.br
facebook.com/Dra.Carla.Iaconelli
Instagram @dra.carlaiaconelli

 

Promovida @ Mãe

2    comentários
2  AMEI!

2 comentários

  1. luciane disse:

    boa noite…acompanho a pouco tempo a dra no insta…depois de um ano e pouco de tentativas nos deparamos “inferteis”..com um filho de 3 anos..eu 23, marido 35..arrasados…agora fazendo exames, marido ok, e eu com fsh acima do notmal, alto.. fui no dr google e vi q nao tem tratamento, q as chances tomando indutores sao baixas..q teria q recorrer a fiv…isoo é verdade?

    • Kika Nalli disse:

      Olá Luciane,
      Obrigada pela sua participação!
      Vamos enviar a sua dúvida para a Dra. Carla Iaconelli.
      Sinta-se à vontade também de contactá-la!
      Estamos torcendo por você!
      Um beijo,
      Kika e Fefa

Deixe uma resposta

clique aqui para carregar a versão desktop

© promovida @mãe - Todos os direitos reservados | DESIGN: my wishes gallery | programação: webonfocus

Muitas das imagens aqui divulgadas não são de nossa autoria. Se alguma foto for sua e você desejar que
ela seja creditada ou removida, por favor entre em contato. Obrigada. contato@promovidaamae.com.br

já curtiu a nossa fanpage?
siga o nosso instagram:
@promovidaamae

© promovida @mãe - Todos os direitos reservados | DESIGN: my wishes gallery | programação: webonfocus

Muitas das imagens aqui divulgadas não são de nossa autoria. Se alguma foto for sua e você desejar que
ela seja creditada ou removida, por favor entre em contato. Obrigada. contato@promovidaamae.com.br