Hipotireoidismo Congênito

Já ouviu falar em Hipotireoidismo Congênito?

Eu não sabia nada sobre os riscos de um bebê nascer com Hipotireoidismo Congênito até uma pessoa próxima ter me falado que o bebê estava com suspeita de ter nascido com essa doença.

Foi detectado pelo teste do pezinho e o exame teve que ser repetido para caso o resultado fosse positivo, o tratamento ser iniciado o quanto antes.

Eu mesma tenho problema de tireoide, mas não fazia ideia que um bebê pode ter desde cedo e acarretar em  sérios riscos de saúde, por isso resolvi alertar por aqui!

Não deixem de realizar o teste nos bebês! É muito importante!

Abaixo a explicação sobre o assunto.

Boa leitura!

Beijocas

O hipotireoidismo congênito ocorre quando a tiroide do bebê não é capaz de produzir as quantidades certas de hormônios tireoidianos, podendo comprometer o seu desenvolvimento e provocar até mesmo um dano neurológico permanente, chamado de cretinismo, se a criança não for devidamente tratada.

Esta doença não tem cura, mas se o diagnóstico e o tratamento forem realizados o mais cedo possível, a criança tem um crescimento e desenvolvimento normal. Quando o tratamento não é realizado a criança pode desenvolver retardo mental grave.

Sintomas do hipotireoidismo congênito

  • Pele e olhos amarelados;
  • Hipotonia: músculos muito flácidos;
  • Aumento do volume da língua;
  • Hérnia umbilical;
  • Desenvolvimento ósseo comprometido;
  • Dificuldade na alimentação.

Apesar de existirem sintomas, somente cerca de 10% dos bebês que sofrem de hipotireoidismo congênito é que os apresentam.

Causas do hipotireoidismo congênito

  • A não formação da glândula tireoide;
  • A formação em local irregular da glândula tireoide;
  • A formação incompleta da tireoide;
  • Defeitos na formação dos hormônios da tireoide;
  • Lesões na hipófise ou hipotálamo, que são duas glândulas no cérebro responsáveis pela produção e regulação dos hormônios.

Geralmente, o hipotireoidismo congênito é permanente, no entanto, pode ocorrer hipotireoidismo congênito transitório, que pode ser causado pela:

  • Insuficiência ou excesso de iodo da mãe ou do recém-nascido;
  • Passagem através da placenta de medicamentos antitireoidianos.

Quando transitório necessita também de tratamento, mas ele é suspenso, em geral, aos 3 anos de idade, para realização de exames que vão definir melhor o tipo e a causa da doença.

Diagnóstico do hipotireoidismo congênito

O diagnóstico do hipotireoidismo congênito pode ser feito através do teste do pezinho a partir do 3º dia de vida, geralmente na maternidade ou hospital onde o bebê nasceu, através da coleta de algumas gotas de sangue do calcanhar do bebê.

Se o teste do pezinho indicar a doença, deve ser realizada a dosagem dos hormônios T4 e TSH através de uma análise de sangue. Outros exames de imagens, como ultrassonografia, ressonância magnética e cintilografia da tireoide podem também ser utilizados no diagnóstico.

Tratamento para hipotireoidismo congênito

O tratamento para hipotireoidismo congênito consiste na reposição dos hormônios da tireoide durante toda a vida através da administração oral de um remédio, a Levotiroxina sódica, que pode ser dissolvido em uma pequena quantidade de água ou leite do bebê.

Quando o diagnóstico e o tratamento são feitos tardiamente, pode ocorrer retardo mental e retardo do crescimento, por exemplo.

Fonte: Tua Saúde

Comentários

About Author