Como orientar uma grávida vegetariana – Por Dra. Andrezza Botelho

Como orientar uma grávida vegetariana? A nossa colaboradora nutricionista, Dra. Andrezza Botelho esclarecerá muitas dúvidas!

 

Quando engravidamos nos preocupamos mais ainda com a nossa alimentação. Todas nós queremos garantir uma boa saúde e desenvolvimento para o nosso bebê.

Sabemos que alimentação da grávida é um dos itens fundamentais durante toda a gestação. Mas e a grávida vegetariana? É possível ofertar todos os nutrientes necessários com esse tipo de alimentação?

Nossa colaboradora nutricionista, Dra. Andrezza Botelho, vai desmistificar um pouco esse assunto tão polêmico!

orientação nutricional para uma grávida vegetariana

A gravidez é um momento esperado por muitas mulheres. Quando ela finalmente se confirma, a futura mamãe tem muitas dúvidas em relação à alimentação, mas, uma coisa é certa, ela sabe que precisará fazer algumas modificações.

Agora, quando uma mulher vegetariana revela que está grávida, ela é alvo de olhares perplexos. Os mais desinformados afirmam que isso prejudica o bebê. Um dos principais argumentos, é que agora ela precisa “comer por dois”. As gestantes não precisam “comer por dois”. Após o 3º mês, ocorre um aumento de 300 kcalorias.

As mulheres vegetarianas não precisam abrir mão dessa dieta. Ela é indicada para todas as fases. O vegetarianismo protege a mulher contra o excesso de hormônios e toxinas presentes em carnes, peixes e laticínios. O ácido fólico (vitamina B9) encontrada nas folhas verdes, diminui em 50% os riscos de malformação do tubo neural do bebê. Nas mulheres adeptas a essa dieta, os níveis dessa vitamina é mais elevado. Outra entidade que atesta os benefícios desse hábito alimentar é a American Dietetic Association, a maior entidade de dietistas e profissionais de nutrição do mundo.

O vegetarianismo é pobre em colesterol, porém não pode ser desprezado. As gestantes adeptas dessa dieta correm menos riscos de ter hipertensão, diabetes tipo 2 e doenças cardiovasculares. Essas doenças levam à pré-eclâmpsia e diabetes gestacional. Tais enfermidades, em casos extremos fazem as gestantes ficarem internadas.

A gestante vegetariana necessita consumir carnes durante a gravidez?

Não. Todos os nutrientes que a carne apresenta podem ser encontrados em alimentos de origem vegetal. Além dos inúmeros benefícios encontrados em optar por uma dieta sem carnes, como: Vegetarianos apresentam menor risco de doença cardiovascular, menor risco de adquirir alguns tipos de câncer, menor chance de apresentar pedras na vesícula, insuficiência renal, diabetes, obesidade, osteoporose, etc.

Existem alimentos especiais que a gestante deve consumir?

  • Garantir sempre a ingestão de alimentos antioxidantes como: frutas, verduras, legumes, leguminosas, sementes oleaginosas e cereais.
  • Garantir a ingestão de verduras verde-escuras (couve, escarola, rúcula, espinafre, agrião); alimentos de cor amarelo/laranja (mamão, laranja, cenoura, abóbora); frutas cítricas (limão, laranja, abacaxi); frutas e legumes avermelhados ( tomate, goiaba, melancia) ; grãos e sementes ( semente de girassol, gérmen de trigo, amêndoas, avelãs) ; chá verde, chá preto, etc.
  • Para gestantes vegetarianas é aconselhável também o consumo diário de sucos verdes (couve com suco de laranja ou abacaxi) para aumentar a ingestão de ferro e cálcio. Incluir também uma boa porção de verdura verde-escura no almoço e jantar e sempre com uma fonte de vitamina C para ajudar na absorção do ferro vegetal (limão, acerola, abacaxi, laranja- Um modo prático é tomar 1/3 de copo de suco de limão com água (espremer um limão grande e acrescentar um pouco de água para conseguir consumir).
  • Trocar o feijão comum pelo feijão azuki e feijão branco são ótimas escolhas para acrescentar mais cálcio ao dia.
  • Incluir a semente de linhaça (triturada na hora) e o óleo de linhaça, pelo ômega 3.

E sempre deixar na noite anterior do preparo os feijões de molho em água e cozinhá-los no dia seguinte em uma água nova. Esta pratica reduz a quantidade de fitato auxiliando na retenção de ferro e zinco pelo organismo.

Os suplementos receitados (acido fólico, vitamina B12 e cálcio) não podem ser ignorados, pois, eles suprem carências que sempre vem à tona na gravidez, devido a alimentação deficiente ou dificuldades de absorção.

Ácido fólico

  • Protege o feto de deficiências neurológicas, como a espinha bífida. É encontrado nos vegetais de folhas verdes, noz, laranja, abacate e nos cereais integrais.

Zinco

  • Equilibra o metabolismo, a produção de hormônios e mantém o sistema imunológico sadio. O zinco também protege os bebês de diarreias graves no primeiro ano de vida. Está presente na semente de abóbora, gergelim, gérmen de trigo e nos ovos. Em alguns casos, o profissional de nutrição pode indicar a suplementação de zinco (15 mg/​dia).

Vitamina C

  • Responsável por tornar o ferro mais solúvel. A vitamina C é encontrada nos vegetais verdes, tomate, brócolis e no melão.

Ferro

  • Previne a anemia, evitando os riscos de um parto prematuro, baixa oxigenação e nutrição do feto. Vegetais de folhas escuras, feijão, lentilha, ervilha e grão-de-bico são as maiores fontes de ferro. A quantidade necessária de ferro é de 15%. Para as futuras mamães que gostam de café, um aviso, a cafeína atrapalha a absorção de ferro.

Cálcio

  • O cálcio diminui a incidência de pré-eclâmpsia, regula a coagulação sanguínea e o repasse de nutrientes para o feto. Couve, brócolis, vegetais escuros, repolho, semente de girassol, figos secos e gergelim são fontes de cálcio. O mineral também pode ser encontrado no tofu (queijo à base de soja), leite de soja, sardinha e manjuba. O consumo desses é importante durante o período de amamentação.

Ômega 3

  • Regula o metabolismo, o funcionamento cardiovascular e a pressão arterial. Também protege contra inflamações. Previne pré-eclâmpsa e depressão pós-parto. É encontrado nos peixes de águas profundas, como atum, bacalhau e sardinha. Rúcula, castanhas e nozes são outras fontes de Ômega 3

Vitamina B12

  • Responsável por manter as células vermelhas do sangue saudáveis. Previne e combate a anemia gestacional. Encontrada no queijo, leite, ovos, levedo de cerveja e algas marinhas. Geralmente, os níveis da vitamina B12 em vegetarianos são mais baixos. As grávidas vegetarianas precisam da suplementação dessa vitamina. A dose indicada pelos médicos é de 2,0 mg/​ Algumas vezes se faz necessario uma suplementação a parte.

Proteína

  • Deve ser consumida durante toda a gestação.  A proteína favorece o desenvolvimento do feto e da placenta. Aumentando o consumo de produtos de origem vegetal, como as leguminosas, leite de soja, o tofu, tempeh (originário do sudeste asiático) e o seitan (derivado de uma proteína de trigo chamada glúten), as gestantes adeptas ao vegetarianismo conseguem atingir os níveis necessários de proteína.

Suplementação de vitamina D

A vitamina D é importante, porque ela regula o cálcio, consequentemente, ajuda no desenvolvimento e manutenção dos ossos.

Dra. Andrezza Botelho

Andrezza Botelho – Nutricionista funcional Pós graduada em estética e cosmetologia.

Proprietária e diretora científica da Clínica Andrezza Botelho Nutrição e Bem Estar.

Tel: (011) 50821598

Instagram: @drandrezzabotelho

 

 

 

 

Comentários

About Author