E agora pipoqueiro? (desabafo de mãe)

Gente estou para escrever este texto desde o primeiro semestre, mas no fim achei bom escrever agora e ter esperado para colocar todo meu ponto de vista que hoje é diferente.

Quando os meninos começaram na nova escola em fevereiro, depois de uma semana, o horário da saída se tornou meu “novo pesadelo”.

Um problema que antes não existia apareceu e foi uma guerra inicial entre eu e meu mais velho principalmente…

O sorridente pipoqueiro na saída foi um vilão inicial, mas que com tempo e paciência me ajudou e ajudou meu filho a driblar sua ansiedade e aprender mais a noção de tempo.

Principalmente o Rafael queria pipoca ou batata todo santo dia… Era novidade, pois na escola anterior não tinha nada na saída.

Falar NÃO era motivo de escândalo, e enrolação de pelo menos meia hora a mais para ir para casa… Tinha dia que me sentia envergonhada, cansada, quase que vencida pela insistência, mas fui firme e deu muito certo!

Combinei inicialmente que o dia da pipoca/ batata seria sexta-feira. Depois de um tempo mudei para quinta por dois motivos: sexta é um dia que muitos pais elegem e a fila é maior (socorro) e quinta era um dia que o Rafa saia chateado por não fazer futebol com alguns amigos na escola  (Não teve vaga esse ano para ele 🙁 ).

Mesmo combinando e escolhendo um dia da semana, passamos momentos difíceis… Para ele esperar uma semana era quase uma eternidade. Tive que trabalhar isso demais e explicar quase diariamente. Mostrei calendário, conversei e driblei muitas birras e hoje está suuuuuper tranquilo.

Fico feliz em ver que todo esforço valeu a pena. Hoje ele tem noção, sabe esperar e raramente (mesmo) dá uma choradinha que quer a pipoca em dia errado. (UFA)

Então minha dica é a de sempre: conversa e paciência para ajudá-los a aprender, a conquistar e crescer. VIVA!

Beijos de uma mãe que erra e acerta também! 😀

debora_moss_birras_por_que_telas_21_04_2016

Comentários

About Author

2 Comentários