Divã para os pequenos

Sou super à favor de terapia, inclusive não abro mão da minha! Acho que é um momento de auto conhecimento, de busca e de melhora como ser humano. Adoro a minha terapeuta e a forma que ela aborda os mais diversos assuntos que levo em cada sessão. às vezes, precisamos de um “empurrãozinho” para enxergar e descobrir coisas que parecem meio óbvias. E eu como mãe, tenho a pretensão de ser o melhor ser humano possível para as minhas filhas! Que mãe que não pensa assim né?

Em uma das minhas sessões de terapia, começamos a conversar sobre terapia para crianças e fiquei surpresa quando ela me contou que a busca de ajuda psicológica para as crianças está crescendo muito!

Achei uma matéria super bacana na revista Cláudia Filhos (edição 637B) sobre o Divã para os pequenos e gostaria de compartilhar alguns trechos com vocês!

E vocês? Já procuraram algum tipo de intervenção psicológica? São a favor de terapia para os pequenos?

Beijos!

Motivos para aumento na busca da psicoterapia:

– Menos preconceito da população.

– Maior entrosamento e capacidade das escolas para entender as necessidades dos pequenos.

– Maior conscientização de que a psicoterapia ajuda a criança a se desenvolver melhor.

– Os convênios agora são obrigados a cobrir esse tipo de acompanhamento (informe-se melhor junto ao seu plano de saúde da documentação necessária e quantidade de sessões garantidas de cobertura).

– Maior insegurança dos pais no trato com a criança.

– Aumento da carga de trabalho dos pais, levando-os a ficar muito tempo fora, necessitando de uma profissionalização maior de cuidados.

– Culpa dos pais por ficarem o dia todo longe dos filhos, tornando-se muito permissíveis para compensá-los da ausência.

– Mundo muito competitivo, tornando a agenda das crianças muito sobrecarregadas. Grande expectativa dos pais sobre os filhos. Isso gera stress na vida da criança.

O que tem levado as crianças para o Divã:

– separação dos pais

– Bullying

– Perda de um ente querido

Perguntas e Respostas:

– Quais os sinais de que a criança precisa de terapia: Atenção especialmente às alterações de personalidade.

– Qual a melhor idade para começar: não há exatamente uma hora certa para começar. Dependendo da idade, o que muda é a abordagem feita pelo terapeuta.

– Quanto tempo dura: Não tem como se estimar um prazo. Não é o mesmo que um tratamento médico. É um processo que vai ajudar a criança a se entender, a entender as suas dificuldades e superá-las.

– O problema pode estar nos pais, e não na criança: A criança está inserida dentro de um contexto familiar e é reflexo dele. A terapia não afeta só a criança, mas quem está ao seu redor.

diva

Comentários

About Author

1 comentário