Dicas para entrevistar uma babá

Quando a Laura nasceu, nem passava pela minha cabeça contratar uma babá. Como optei por não voltar a trabalhar, queria viver intensamente todos os momentos com ela.
Quando estávamos planejando o segundo filho tive que aceitar a ideia que teria que ter uma ajuda de uma babá já que não temos nenhum parente morando próximo. E assim foi um pouco antes da Luísa nascer!
Acho super importante fazer uma boa entrevista para conseguir contratar uma boa profissional. Afinal ela está com o seu maior bem: o seu filho (a).
Pesquisei bastante, conversei com muitas amigas que já tinham babás e montei um roteiro para as entrevistas que iria fazer!
É claro que isso não garante 100% a contratação de uma boa profissional, mas acho que ajuda muito para tentarmos fazer uma boa escolha!
Espero ajudar um pouquinho!!!

O início da entrevista já serve como observação. Repare se ela chegou na hora certa e com os documentos e referências já em mãos. Isso pode mostrar muito sobre a pontualidade e eficiência da pessoa.
Durante a entrevista observe:
– Asseio pessoal
– Tipo de roupa que usa
– Como conversa (erros grosseiros de português?)
– Postura
O que perguntar durante a entrevista:
– Nome Completo
– Idade
– Endereço
– Estado civil
– Tem filhos? Quantos? Qual a idade? Com quem ficam e onde?
– O que acha importante na educação de uma criança?
– Tem experiência como babá?
– Por quanto tempo ficou e qual o motivo da saída do último emprego?
– Quanto ganhava? Qual a sua pretensão salarial?
– Qual foi a criança mais fácil que cuidou? Porque?
– E a mais difícil? Porque?
– Pergunte sobre os ex-patrões. Com quem se relacionava melhor?
– O que mais gosta e menos gosta na sua profissão?
– O que precisa ter uma boa babá? Quais destas características você acredita que possua e quais pode aperfeiçoar?
– Tem disponibilidade para dormir ou viajar? e finais de semana?
– Fuma ou bebe?
– Já teve algum problema de saúde? Saúde atual?
– Usa celular durante o expediente?
No meio ou final da entrevista deixe ela conhecer os seus filhos e observe como ela se comporta com eles. Ela foi carinhosa? Atenciosa? Propôs algo diferente para brincarem?
O que perguntar ao pedir referências:
– Como agia profissionalmente e pessoalmente
– Que características mais incomodava e quais valorizava
– Motivos da saída
– Como lidava com os demais funcionários da casa
– Hábitos de higiene, educação, iniciativa, boa vontade, sociabilidade, bom humor, paciência e postura profissional
– Como agia em situações mais difíceis com as crianças
E para finalizar…Além de empatia, conte sempre com a sua intuição de mãe!
Boa sorte!!!!
Comentários

About Author