Temos o maior emprego de nossas vidas: somos mães!

15/05/2017

comente

Inglês em casa: Cooking Class – Por Guilherme Siqueira

Colaboradores

Já contei para vocês que a Luísa está fazendo aulas particulares de inglês em casa e estou adorando o professor e o método utilizado. Tudo muito lúdico e uma das aulas foi a Cooking Class.

Ela amou a aula e ficou orgulhosa em poder fazer e decorar o seu próprio Cup Cake. Percebi que durante a aula, o professor nomeava tudo em inglês e trabalhou bastante os opostos como: molhado e seco, pequeno e grande, etc…

Ninguém melhor do que o teacher Guilherme para contar um pouco sobre essa modalidade de aula de inglês.

Enjoy it!!!

Qual criança não pula de alegria quando pode ajudar na cozinha?

A culinária permite estimular os sentidos, e amplia as fontes de conhecimento e aquisição do Inglês e mais. O toque e olfato encurtam o caminho para a consolidação de vocabulário por estarem aflorados.

Essa dica é para Mamães e Papais praticarem Inglês com as crianças e ainda ter um docinho no final!

A Lu seguiu minhas instruções (break it, open it, close it) enquanto quebrava o ovo. Com o toque, ela define se o ingrediente é seco (dry) ou molhado (wet). Cores, formas, ações, adjetivos etc. Pude praticar todos esses elementos da língua ao mesmo tempo.Nesse segundo mês com a Lu, fizemos cupcakes e gravamos um vídeo!

Transtornos de Atenção:

Para alguns dos meus alunos, foi além do Inglês. Crianças ansiosas e/ou diagnosticadas com transtornos de atenção adoram cooking class, aproveitam não apenas do idioma, mas são estimulados a se concentrar naturalmente, promovendo relaxamento, equilíbrio das emoções e aquisição do Inglês!

Espero que tenham gostado da Cooking Class. Em breve voltarei com mais aulas e novidades!

 

Guilherme Siqueira

Telefone para contato: (11) 96587-3993

Instagram: @teacherguilherme
www.instagram.com/teacherguilherme
 Facebook: https://www.facebook.com/guilherme.huri

 

Promovida @ Mãe

0    comentários
1  AMEI!

1/05/2017

comente

Os malefícios do açucar – Por Dra. Andrezza Botelho

Colaboradores

Todos nós sabemos que o açúcar pode ser prejudicial para a nossa saúde, mas nada como uma nutricionista super competente para falar sobre os malefícios do açúcar, né?

 

Esperamos que com todas essas informações e justificativas vocês possam repensar sobre o uso abusivo do açucar e os malefícios para o nosso organismo!

malefícios açúcar

O consumo de açúcar vem crescendo a cada ano, sendo considerado uma droga estimulante, que por ser lícita, pouco se discute sobre os prejuízos à saúde humana. Seu consumo exacerbado vem trazendo consequência alarmante para a saúde da população chegando a ser considerado um problema de saúde publica atualmente, por gerar uma série de desequilíbrios sistêmicos.

A dependência química do açúcar ocorre fortemente por gerar alta sensação de prazer, estimulando neurotransmissores cerebrais. Essa sensação boa gera um vicio, pois dura pouco tempo e nos faz querer sempre mais dessa substância.

O açúcar refinado não traz beneficio algum ao organismo por não conter nenhum nutriente, apenas calorias vazias. Essa energia toda em excesso é armazenada na forma de gordura, através do hormônio chamado insulina, que quando super estimulado ou secretado constantemente leva à resistência à insulina ou Diabetes propriamente dito. O açúcar é apenas um alimento calórico, de baixa qualidade nutricional, que não oferece benefícios para o organismo. Ele rouba nutrientes, podendo alterar o meio digestivo no estômago, prejudicar a absorção de vitaminas e minerais, interferir na digestão e na absorção intestinal, além de facilitar o aumento da excreção de alguns nutrientes dentro do organismo. Além disso, o açúcar é alimento de fungos e más bactérias. Quando há um aumento desses elementos, você acaba mantendo um pH ácido no intestino, o que prejudica a absorção de nutrientes essenciais para o bom funcionamento orgânico.

Também traz prejuízos ao intestino, pois é o alimento preferido das bactérias patogênicas, fazendo essa colônia crescer rapidamente, diminuindo assim a colônia “boa”, e acabando com a flora intestinal saudável, ocasionando má absorção de nutrientes importantes; deficiência do sistema imunológico; entrada de toxinas pelos capilares levando a uma série de desequilíbrios no organismo e doenças como câncer (também serve de alimento para células cancerígenas, promovendo o crescimento de tumores).

Outros malefícios são o aparecimento de diabetes, o aumento de cáries, infecções e osteoporose, relacionados à perda lenta e constante de cálcio e magnésio que esse alimento acarretar; lesão nas paredes dos vasos sanguíneos; obesidade; envelhecimento precoce (aumento de radicais livres); hiperatividade; ansiedade; dificuldade de concentração e irritabilidade.

É fundamental o uso controlado e limitado desse alimento, para garantir a qualidade e o equilíbrio do corpo. Através de trocas inteligentes como o uso de açúcar mascavo, açúcar de coco e até o demerara podemos ingerir alguns nutrientes interessantes, mas mesmo assim o consumo tem que ser muito consciente e equilibrado para garantirmos a saúde física e mental, evitando assim o aparecimento de doenças silenciosas e danosas, que acabam levando grande parte da população à morte logo após a sua descoberta.

O açúcar rouba energia do cérebro, facilita a síndrome metabólica que é geradora de problemas cardiovasculares e da gordura abdominal, hipoglicemia reativa, distúrbios de concentração, fadiga crônica, e ainda destrói alguns nutrientes.

Além disso, o alto consumo de açúcar aumenta a formação de radicais livres, que em excesso podem causar efeitos deletérios no organismo, gerando o estresse oxidativo, ou seja, os radicais livres alteram o funcionamento das nossas células favorecendo o envelhecimento celular.

Um estudo da Universidade da Califórnia em Los Angeles (UCLA), feito com ratos de laboratório, mostrou que uma dieta com elevada dose de açúcar deixa o cérebro mais lento, prejudicando a memória e a aprendizagem. De acordo com o estudo, o consumo excessivo pode interferir na capacidade da insulina de regular como as células usam e armazenam açúcar, o que é necessário para o processamento de pensamentos e emoções.

dra.andrezza-150x150

Andrezza Botelho – Nutricionista funcional Pós graduada em estética e cosmetologia.

Proprietária e diretora científica da Clínica Andrezza Botelho Nutrição e Bem Estar.

Tel: (011) 50821598

Instagram: @drandrezzabotelho

Promovida @ Mãe

0    comentários
3  AMEI!

24/04/2017

comente

Uso do Flúor – Por Dra. Sandra

Colaboradores

O uso do flúor durante a escovação dos dentes sempre foi uma polêmica entre os dentistas e muitas vezes, nós pais, ficamos perdidos.

Pedimos para a nossa colaboradora ortodontista, Dra. Sandra, para esclarecer de uma vez por todas esse assunto e dar dicas de como e quando utilizar o flúor. Com certeza esse post vai ajudar muito!

Vemos em nosso consultório e em outros espaços de discussão que existe uma grande dúvida dos pais sobre quando iniciar o uso de flúor nas crianças. E é importante fazer a iniciação das crianças ao consultório dentário desde o nascimento dos primeiros dentinhos de leite, aproximadamente aos 6 meses.

Segundo a Associação Brasileira de Odontologia, o flúor contido nas pastas de dentes usadas diariamente e, os vernizes fluorados passados de tempo em tempo, no consultório do dentista, favorecerá a formação do esmalte dental, deixando-o muito mais resistente a cárie. É importante que esta prática comece com o aparecimento dos primeiros dentinhos. O mesmo vale para as pastas de dentes com flúor. A recomendação é de usa-las, já a partir do surgimento dos primeiros dentinhos. Claro que o dentista avaliará caso a caso e é muito ter o acompanhamento de um profissional!

É muito importante observar a quantidade de pasta na escovinha de dentes também. Ela deve ser adequada para cada fase da dentição. Nesta primeira fase da dentição, deve ser de 1/2 grão de arroz crú três vezes ao dia.  De acordo com o aparecimento de mais dentinhos e a idade da criança, a proporção aumenta para o tamanho equivalente à  um grão de arroz crú, depois, meia ervilha até chegarmos à um grão de ervilha. Seguindo assim por toda vida.  É, portanto, uma quantidade bem pequena para que, não haja o risco de a criança engolir o excesso.

A água das grandes cidades do Brasil já vem tratada com flúor. E se a criança engolir a pasta de dentes mais o flúor da água diária corre o risco de ficar com fluorose. Esta é uma afecção, que danifica a formação do esmalte dental de forma irreversível, tornando os dentes fracos e porosos. Por conta desse risco, é fundamental, para que se obtenha os excelentes benefícios do flúor para o endurecimento e fortalecimento dos dentes, que sempre tenha esse cuidado: não engolir pasta de dentes e não exceder a quantidade recomendada.

Recomendo que quando a criança estiver na escola ou na creche, o melhor é enviar uma pasta de dente sem flúor que é possível encontrar no mercado. E em casa, com a supervisão de um adulto responsável, o indicado é usar uma boa pasta com flúor e, sempre na quantidade indicada para cada fase, ensinando gradativamente a criança a enxaguar a boquinha e a cuspir a espuma, nunca engolir!

Vale lembrar que pastas de dentes, são remédios e, não devem ficar à mão da criança!

 

Dra. Sandra Aiosa

Cirurgiã Dentista – CROSP 26445

Especialista em Odontologia Oral e Odontologia Sistêmica

www.saiosaodonto.com.br

 

Promovida @ Mãe

0    comentários
3  AMEI!

clique aqui para carregar a versão desktop

© promovida @mãe - Todos os direitos reservados | DESIGN: my wishes gallery | programação: webonfocus

Muitas das imagens aqui divulgadas não são de nossa autoria. Se alguma foto for sua e você desejar que
ela seja creditada ou removida, por favor entre em contato. Obrigada. contato@promovidaamae.com.br

já curtiu a nossa fanpage?
siga o nosso instagram:
@promovidaamae

© promovida @mãe - Todos os direitos reservados | DESIGN: my wishes gallery | programação: webonfocus

Muitas das imagens aqui divulgadas não são de nossa autoria. Se alguma foto for sua e você desejar que
ela seja creditada ou removida, por favor entre em contato. Obrigada. contato@promovidaamae.com.br