Cama compartilhada

Antes de ser mãe eu era uma mãe perfeita…rs
Idealizei muitas coisas que infelizmente tiveram que tomar outro rumo no decorrer do crescimento dos meninos… Na verdade, hoje me cobro menos por isso, mas foi difícil no começo.
Cama compartilhada era um assunto que eu achava que não faria parte da minha vida materna….rs
O Rafael praticamente nunca dormiu na minha cama. Disse praticamente, pois quando o Felipe estava para nascer ele teve um momento super sensível e pedia para estar na minha cama a noite. Eu fiquei desesperada, pois como seria ele no meu quarto e o bebê também (coloco comigo no primeiro mês).
Ele voltou naturalmente para a cama dele e ficou tudo bem…
Depois que o Felipe nasceu e começou a me dar o maior trabalho para dormir, por conta do refluxo (veja aqui), eu virei um zumbi.
Fiquei uns três meses sem dormir nada praticamente. Ele acordava toda hora e toda hora eu ia para o quarto dele. Sentava na poltrona e ficava com ele no meu colo até voltar a dormir… E isso durante a noite toda. Cheguei num ponto de exaustão e conversei com o marido que o Pipe iria dormir na nossa cama, pois eu não aguentava mais. Estava ficando doente. A irritação estava dominando meu dia e minha noite, pela falta de sono. E prejudicou minha relação com eles também, e eu me cobrava demais por isso.
Quando coloquei ele para dormir com a gente ele acordava sim, mas eu não precisava levantar e com um pouco de conversa ele voltava a dormir bem mais rápido… E com o tratamento do refluxo o sono foi melhorando e eu fui me fortificando novamente.
Nesse meio tempo, percebi que ele dormia bem melhor na cama do que no berço.
Pedi para o marido comprar um colchão bom e coloquei no quarto dele para testar como seria o sono dele desta forma (assim eu compraria outra caminha)… E por incrível que pareça ficou muito melhor!!!
Ele ainda acorda, mas bem menos e eu deito qualquer coisa no quarto dele.
Eu não sou contra e nem a favor da cama compartilhada (respeito todas as opiniões). Eu tive que usá-la por sobrevivência…rs. Mas eu também acho super importante que a criança durma no seu quarto, que crie sua individualidade, saiba enfrentar seus medos noturnos, etc. Claro que estarei ao lado dos meus filhos caso precisem de mim, acordem assustados, mas acho bacana esse enfrentamento. Gera segurança de forma saudável.
O que vocês pensam sobre esse assunto?
Beijos
 
Comentários

About Author