Cama compartilhada (é meu passado)

Eu fazia cama compartilhada!

Na verdade, quarto compartilhado. (risos)

Desde que os meninos saíram do berço para a cama, minha vida virou um caos noturno… (por um tempo)

Primeiro eu tentei que eles ficassem no quarto deles e levantava, duas, três, vinte vezes por noite para fazê-los dormir e depois voltava pra minha cama.

Isso foi ficando insano!!!!

Eu estava exausta. Esgotada. Uma múmia!

Resolvi aderir a bicama do quarto deles sempre que acordavam, ou seja, todas as noites. Raras as vezes que eu dormi e acordei no meu quarto.

Para meu pequeno tinha o quarto do papai e o “nosso” (Felipe, Rafael e Fefa). Fiquei por lá uns três anos.

Sei que muitas vão achar isso um absurdo, outras vão achar normal… O que eu acho (e o que realmente me importa) é que aquilo era o que eu estava capaz de aguentar. Aguentar? Sim! Para poder estar disposta e fazer o corre, corre insano de todos os dias. Eu não funciono sem dormir. Fico mal humorada, irritada, como mal e por aí vai… Quanto mais cansada, mais fora do eixo eu fico.

Cansei de escutar críticas sobre isso. Às vezes me incomodava, às vezes não. Quando mexia comigo, com meu ideal de mãe, eu tentava reverter a situação e sempre vinha a frustração e mais comentários:

‘Fefa, se eles não dormirem sozinhos ficam mal acostumados.”.

“Fefa, se não dormirem sozinhos serão adultos inseguros.”.

‘Fefa, se não dormirem sozinhos ficarão mimados.”.

Minhas respostas:

“Estou cansada.”.

“Eles crescem. Depois não vão querer saber de dormir com mamãe.”.

A verdade, é que eu não estava preparada para ensiná-los a dormir sozinhos. No fundo, no fundo, por um tempo eu amava aquilo. Claro que eles também. Mas eu gostava de estar por perto. No controle de tudo… Mas, no último ano comecei a me incomodar.

A cama não estava confortável. Vivia com dor nas costas. Queria voltar pra minha cama. Minha vida de casada. Minha privacidade.

Aproveitei nossa mudança de casa e coloquei pra eles com toda segurança (eu estava decidida e isso foi fundamental) que eles estavam prontos para dormir sem a mamãe. Conversamos muito. Eles deram uma remungadinha (mas bem de leve) e passaram a dormir mesmo sozinhos.

Mais uma vez eu confirmei que quando estamos seguras do que queremos passar pros nossos filhos, toda mudança ocorre de forma leve, sem traumas e sempre vale a pena.

Por isso, não se sinta culpada se ainda não está firme para essa ou qualquer outra transição do seu filho. Você saberá quando deve fazê-la. É importante a nossa certeza, pois mãe segura é igual a filho seguro com qualquer decisão a ser tomada!

Boa sorte!!!

Beijocas 

 

Comentários

About Author